Lula deixa velório do neto em São Bernardo após cerimônia de cremação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou o velório do neto em São Bernardo do Campo por volta das 13h deste sábado (2), após quase duas horas no local.

Ele parte até o aeroporto de Congonhas e será levado de volta para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre pena por condenações de corrupção na Lava JatoSob escolta armada, Lula chegou ao cemitério Jardim da Colina aos gritos de “Lula livre” e “Lula guerreiro do povo brasileiro”.

Ele acenou para os simpatizantes, que se aglomeravam no entorno, contidos por grades. Os apoiadores rezaram um Pai-Nosso em seguida.Arthur Araújo Lula da Silva, 7, morreu em decorrência de meningite meningocócica na sexta (1).

 

Familiares e amigos se despediram do menino num caixão branco aberto. À frente, foram colocados brinquedos, bola de futebol e um par de chuteiras. A sala estava repleta de coroas de flores, enviadas por políticos, membros da família, sindicatos e também pelo ditador da Venezuela, Nicolás Maduro.

Apenas família e poucos políticos tiveram acesso a Lula dentro do crematório. Segundo relatos de pessoas que estiveram ali, o ex-presidente chorou compulsivamente ao entrar. Ele cumprimentou Dilma, Gleisi, Fernando Haddad e outros.

O petista pôde circular pela sala onde está o caixão do neto e pela sala adjacente. A Polícia Federal proibiu o registro de imagens, vídeos e áudios, inclusive pela equipe de comunicação do PT.

Arthur visitou o avô por duas vezes na sede da PF, no ano passado. Era filho de Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente e de Marisa. ​A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, esteve no velório na noite de sexta. Na manhã de sábado, também estavam presentes os petistas Emídio de Souza, Aloizio Mercadante, Gilberto Carvalho, Benedita da Silva, José Genoíno, Alexandre Padilha, Clara Ant e Elenora Menicucci, os deputados Carlos Zarattini (PT-SP) e Ivan Valente (PSOL-SP), além do vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT) e do líder do PSOL Guilherme Boulos.

Lula recebeu autorização da Justiça Federal do Paraná para acompanhar o velório e cerimônia de cremação. A Lei de Execução Penal prevê a permissão de saída de presos para velórios e enterros de familiares, incluindo descendentes.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.